PREPAREM OS SACOS PRETOS

08/02/2010 23:47

PREPAREM OS SACOS PRETOS


06/06/2011 -Não obstante ao inegável fato de que a cada dia mais e mais pessoas estejam adquirindo motocicleta para efetuarem o deslocamento casa trabalho, principalmente em razão da ineficiência do transporte coletivo. O poder público municipal ainda não entendeu qual deve ser o seu papel nesse processo. Que é o de regulamentar o uso da motocicleta, mas levando em conta as especificidades deste tipo de veículo. E isso sob pena de ter que se responsabilizar pela barbárie que estão cometendo. Afinal não é isso que nos ensina o CTB: “OS ÓRGAOS E ENTIDADES COMPONENTES DO SITEMA NACIONAL DE TRÂNSITO RESPONDEM, NO ÂMBITO DAS RESPECTICAS COMPETÊNCIAS, OBJETIVAMENTE, POR DANOS CAUSADOS AOS CIDADÃOS EM VIRTUDE DE AÇÃO, OMISSAÕ OU ERRO NA EXECUÇÃO E MANUTENÇÃO DE PROJETOS E SERVIÇOS QUE GARANTAM O EXERCÍCIO DO DIREITO DO TRÂNSITO SEGURO. (§ 3. DO Art. 01 DO CTB)

Digo isso porque, por insistência da CET, uma nova resolução do Contran, definiu os procedimentos para a fiscalização e aplicação do Art. 192 do CTB. “DEIXAR DE GUARDAR DISTÂNCIA DE SEGURANÇA LATERAL E FRONTAL ENTRE O SEU VEÍCULO E OS DEMAIS, BEM COMO EM RELAÇÃO AO BORDO DA PISTA, CONSIDERANDO-SE, NO MOMENTO, A VELOCIDADE, AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO LOCAL DA CIRCULAÇÃO E DO VEÍCULO.”

Com isso milhares de multas serão aplicadas, então é claro que vão arrecadar ainda mais, mas pergunto: Isso fará diminuir as ocorrências de trânsito? A resposta é não. É só acompanhar os números.

É claro que não estamos aqui defendendo arruaceiros, baderneiros ou mesmo motoqueiros, infratores contumazes. Mas proibir a passagem de moto pelo chamado corredor formado pela fila de automóveis, é colocar os motociclistas em total vulnerabilidade, pois circulando atrás dos automóveis, o motociclista não tem campo de visão e nem tempo de frenagem, pressupostos fundamentais para a segurança do motociclista no trânsito.

É claro que os motociclistas não podem continuar passando por qualquer buraco que se abre no trânsito, daí a nossa sugestão de que se regulamente a passagem da motocicleta entre a faixa um e dois, por onde os motociclistas habitualmente passam, através da criação de um divisor de faixa diferenciado e se proíba o motociclista de passar por entre as demais faixas de rolagem. É que claro que outra alternativa que julgamos viável é a criação de motovias ou motofaixas nas vias onde for possível.

Tememos que a não adoção de uma política específica para a segurança do motociclista no trânsito, resulte em ainda mais fatalidade, o que tem custado muito caro aos cofres públicos.

Pensemos seriamente nisso.

 

Lucas Pimentel

Fonte: ABRAM


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!